Se aprendemos sobre o passado, por que não aprendemos sobre o futuro?